Translate this blog

Pesquisar este blog

4.06.2015

O Brasil será para sempre o país do futuro?

Por: Aristides Faria

Meu objetivo nesse artigo é convidar ao amigo leitor que reflita sobre as condições para o aumento da competitividade do Brasil no mercado internacional. Como brasileiro, pergunto-me se seremos sempre o país do futuro? Refiro-me a um futuro que nunca chegou. Chegará?

Desde 2005, o World Economic Forum (WEF) publica relatórios sobre a competitividade das nações em nível global. O principal documento editado pelo organismo é o Global Competitiveness Report (GCR), que é uma ferramenta desenvolvida para aferir as bases micro e macroeconômicas da competitividade das nações. Nesse documento são analisados índices setoriais.

Afinal, o que é essa tal “competitividade”? O WEF a define como o “conjunto de instituições, políticas e fatores que determinam o nível de produtividade de país”.

Passada a recente crise econômica mundial, cujo pico ocorreu ao longo do ano de 2008, conforme as economias começaram a se restabelecerem, Estados Unidos, Japão e Reino Unido passaram por criaram políticas de regulação monetária com “aperto” das condições financeiras, o que impactaram tanto economias avançadas quanto aquelas emergentes.

Esse período de depressão econômica parece ter despertado as nações para o fato de que as agendas econômica e social têm de caminhar juntas, em harmonia, com foco em reformas e mudanças que compensarão essas mesmas nações com melhores níveis de produtividade com a abertura de novas e melhores oportunidades de emprego para todos os segmentos da população.

Atualmente, o cenário predominante é o de que as economias emergentes terão crescimento mais modesto em relação ao passado recente. Após alguns anos de bom desempenho, liderando o crescimento mundial, sua performance poderá ser afetada por mudanças no ambiente, caracterizadas pelo aumento da dificuldade de acesso ao crédito assim como pela diminuição dos preços das commodities no mercado internacional, que alimentou o crescimento desses países no passado – um cenário que também afeta diversas nações em desenvolvimento.

De acordo com o WEF, instituições sólidas, talentos humanos disponíveis e alta capacidade para inovar são a chave para o sucesso de qualquer economia; e esses elementos serão cada vez mais essenciais no futuro.

Diante desse rápido e superficial apanhado sobre o GCR 2014-2015, reforço a questão que lancei no título desse artigo: O Brasil será para sempre o país do futuro? Eu espero sinceramente que não, ou seja, que esse futuro torne-se presente em muito breve e que possamos dar vida a herança que graciosamente recebemos!

Referência

WORLD ECONOMIC FORUM. Global Competitiveness Report 2014-2015. Genebra, 2014. Disponível em: < http://www3.weforum.org/docs/WEF_GlobalCompetitivenessReport_2014-15.pdf >. Acesso em: 10 de março de 2015.
Postar um comentário