Translate this blog

Pesquisar este blog

5.24.2010

Ecoturismo na Baixada Santista - Canoagem Ecológica Caiçara Expedições



Guarujá prepara curso para formar monitores locais

Com o objetivo de formar jovens em condição de vulnerabilidade social para se tornarem monitores locais de Turismo, a Prefeitura de Guarujá promove um curso de qualificação por meio do Projeto de Turismo Sustentável. A iniciativa tem como base o programa "Turismo Sustentável e Infância", do Governo Federal, e é direcionada a pessoas entre 15 e 25 anos de idade, que morem em comunidades de baixa renda.

A ação será aplicada pela Secretaria Municipal do Turismo e parceiros a partir do segundo semestre deste ano. Serão oferecidos quatro cursos com duração de dois meses cada, oferecendo grade curricular de 228 horas. A primeira turma será composta por 20 alunos da região do Rabo do Dragão (Serra do Guararu). No próximo ano serão contemplados jovens da Cabeça do Dragão (Santa Cruz dos Navegantes) e Barriga do Dragão (Enseada) e em 2012 da Asa do Dragão (Vicente de Carvalho).

Os jovens desta primeira turma foram selecionados a partir de nomes fornecidos pela Sociedade Amigos da Prainha Branca. Os líderes comunitários conhecem os adolescentes e apontaram aqueles que são realmente carentes, precisam trabalhar e têm potencial para atuar com Turismo Ecológico nas trilhas da região.

O curso da primeira turma acontece de 2 de agosto a 17 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, com 90% de aulas práticas no Instituto Litoral Verde (Estrada Guarujá-Bertioga, quilômetro 14,5). As metas são regularizar visitação pública em áreas naturais e de patrimônio histórico, gerar emprego e renda e, após o curso, fazer o emplacamento e sinalização das trilhas. Após o curso, o aluno recebe o certificado de monitor local e será cadastrado num banco de dados da rede municipal.
Para a aplicação do curso, a Prefeitura fornecerá suporte das secretarias do Turismo e do Meio Ambiente terá como parceiro nesta iniciativa as Forças Armadas, Polícia Ambiental, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sociedade Amigos da Prainha Branca, Instituto Litoral Verde, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), agência Nau Brasilis e agência Nação Ecológica Ecoturismo.
Os alunos terão aulas de primeiros socorros, equipamentos e vestimenta, fauna, flora, Educação Ambiental, recreação na trilha, recepção, técnicas de trekking, planejamento e manutenção de trilhas e empreendedorismo/cooperativismo.

..:: Fonte: Guarujá Convention & Visitors Bureau

5.18.2010

Mino de Oliveira: Realizo, Logo Sou!





Dez mandamentos do empreendedor de sucesso

..:: 01 - TENHA INICIATIVA E CURIOSIDADE

Descobrindo e transformando oportunidades em produtos ou negócios inovadores. "Milhões viram a maçã cair, mas só Newton perguntou por quê". Bernard M. Baruch - Conselheiro Presidencial de W.Wilson a D. Eisenhower

..:: 02 - SEJA PERSISTENTE NAS METAS E FLEXÍVEL NAS ESTRATÉGIAS

As estratégias mudam com as circunstâncias - Seja persistente, não teimoso. "Nada está em nosso poder como a própria vontade". Santo Agostinho

..:: 03 - CALCULE OS RISCOS

O empreendedor não está em busca de aventuras e sim de resultados. "É preciso menos tempo para fazer algo da maneira certa do que explicar por que foi feito da maneira errada". Henry Longfellow

..:: 04 - PERSIGA SEMPRE A MÁXIMA EFICIÊNCIA

Exceder padrões de qualidade com menores custos: este é o desafio. "Só o melhor é o suficiente". Autor ignorado

..:: 05 - COMPROMETA-SE COM SEUS PROJETOS

Dedicação e responsabilidade não são sacrifícios, mas investimentos. "Não há atalhos para os lugares aos quais vale a pena chegar". Beverly Sills

..:: 06 - ESTUDE O MERCADO

Necessidades dos clientes, competência dos concorrentes e condições dos fornecedores: este é o seu universo. Conheça-o. "O homem pode tanto quanto sabe". Francis Bacon

..:: 07 - ESTABELEÇA METAS

Desafios de curto, médio e longo prazo são a sua estrada. Boa viagem! "O real não está na saída e nem na chegada, está na travessia". Guimarães Rosa

..:: 08 - FAÇA UM PLANO DE NEGÓCIOS

Planejar é projetar hoje aonde se quer chegar no futuro, enxergando o caminho a ser percorrido e seus obstáculos. É o sonho conseqüente. "A velocidade só faz sentido quando você sabe aonde quer chegar". Autor ignorado

..:: 09 - DESENVOLVA SEU ESPÍRITO DE LIDERANÇA

Forme redes de contatos. Desperte e conquiste corações e mentes! "A liderança existe quando há um movimento em direção a um objetivo". Amyr Klink

..:: 10 - ACREDITE EM VOCÊ

Errar faz parte da natureza de qualquer ser humano. Fazer dos erros uma oportunidade para se tornar melhor, é da natureza do empreendedor.

..:: Contribuição recebida via e-mail, autor desconhecido.

Brunini e Westin falaram para associações internacionais

A pedido da ABRH-Nacional, Wagner Brunini e Felipe Westin, respectivamente presidente executivo e do Conselho Deliberativo da ABRH-SP, falaram para cerca de 20 representantes de várias associações norte-americanas, interessadas em se instalar no Brasil, durante o Asae & The Center Study Mission Latin America. O evento do Asae & The Center for Association Leadership e da MCI – empresa global especializada em gestão de associações – foi realizado no final de abril, na capital paulista.

“Nós apresentamos uma panorâmica da gestão de RH no Brasil, do ambiente trabalhista no país e falamos da ABRH-SP, sua estrutura, foco, organização, entre outros tópicos”, resume Westin. Segundo Gina van Dijk, executiva da MCI, a apresentação teve um feedback bastante positivo da audiência, formada pelos membros de associações como Institute for Operations Research and the Management Sciences, AMTA - American Massage Therapy Association, American Institute of Certified Public Accountants, entre outras.

Fonte: O Estado de São Paulo

Autor: ABRH-SP

Evento destacou o potencial da ABRH-SP

Nem todos os profissionais da área de RH conhecem o potencial dos produtos e serviços da ABRH-SP e até mesmo alguns associados não sabem como explorar os muitos benefícios oferecidos pela entidade. Para esclarecer essas dúvidas, a Associação realizou na última quinta uma palestra de integração, apresentada pelo vice-presidente de Conhecimento e Aprendizagem Almiro dos Reis Neto.

Entre outros tópicos, os participantes puderam conhecer a estrutura da ABRH-SP, a estratégia da diretoria executiva para o período de 2010 a 2012, as parcerias estabelecidas, as ferramentas de comunicação utilizadas pela Associação, o novo modelo de relacionamento com as Regionais, além dos benefícios oferecidos para os associados.

Reis Neto falou ainda sobre o prestígio da entidade, que mantém um excelente relacionamento com a prefeitura da capital paulista e o governo do Estado e é frequentemente procurada pela imprensa para se manifestar em reportagens de interesse dos gestores de pessoas. Ele também destacou o esforço feito para levar a mensagem da ABRH-SP ao interior e ao Litoral Paulista e a preocupação da diretoria atual em adotar uma gestão sustentável, cujos princípios e práticas possam perdurar na Associação.

Fonte: O Estado de São Paulo

Autor: ABRH-SP

5.17.2010

Vice de Marina é empresário da Natura

Por: Chico Santos - Valor Online

O empresário Guilherme Leal, fundador e co-presidente do Conselho de Administração da Natura, é desde ontem oficialmente o pré-candidato a vice-presidente da República na chapa do Partido Verde (PV) encabeçada pela senadora Marina Silva (PV-AC). A decisão de Leal, que resistia a aceitar o convite feito por Marina, foi anunciada pela senadora ontem à tarde, durante o pré-lançamento da campanha do PV, realizado na casa de espetáculos Rio Sampa, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.
"Não podemos deixar de lutar para construir um Brasil mais justo, mais sensato, mais feliz", disse Leal, ao discursar, logo após o anúncio, para uma plateia de aproximadamente mil pessoas. Fundador do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, organização não governamental voltada para o estímulo à gestão empresarial socialmente justa e ambientalmente sustentável, o empresário disse que, na próxima semana, enviará carta aos demais dirigentes da Natura solicitando seu afastamento da atividade empresarial para dedicar-se integralmente ao projeto político.
"Não se constrói uma empresa saudável em uma sociedade doente", disse Leal.

O empresário disse que demorou a aceitar o convite da pré-candidata do PV à Presidência dada a dificuldade em tomar uma decisão que altera fortemente sua vida pessoal. "Implica em me afastar da ação empresarial para que não haja confusão de papéis".

Fundada em 1969, a Natura é uma das mais bem-sucedidas empresas brasileiras nos últimos anos. No primeiro trimestre deste ano a empresa registrou uma faturamento de R$ 1,01 bilhão e lucro líquido de R$ 141,6 milhões, com crescimento de, respectivamente, 21,7% e 2% sobre o mesmo período do ano passado.

Na pré-convenção de ontem, que contou com as presenças de artistas como os cantores e compositores Gilberto Gil (que levou a plateia ao delírio cantando a música "Andar com Fé") e Adriana Calcanhoto e o poeta Thiago de Mello, Marina distribuiu elogios e algumas críticas aos adversários, assumindo o compromisso de "respeitar os oponentes" durante a campanha eleitoral. Elogiou o programa Bolsa Família, dizendo que com ele o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez "política social de segunda geração".

Marina foi ministra do Meio Ambiente do governo Lula até maio de 2008, quando era filiada ao PT. Ela também elogiou os ex-presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso pelo Plano Real, que acabou com a hiperinflação. Ainda na área econômica, elogiou os esforços dos últimos governos na área fiscal e o câmbio flutuante. "Não faço isso (elogiar os adversários) para ganhar voto, e sim para fazer justiça", disse.
Mas ela também distribuiu críticas. Disse que o PT "perdeu a capacidade de se conectar com as utopias do século 21" e que PT e PSDB tem candidatos (Dilma Rousseff e José Serra, respectivamente) "muito parecidos", defendendo "o desenvolvimento pelo desenvolvimento, o velho paradigma do século 20". Criticou ainda os que "interditaram" a candidatura do deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) à Presidência da República.
Segundo Marina, a pressão pela retirada de Ciro da disputa foi "incoerente com a democracia" e teve por objetivo fazer da eleição presidencial de outubro um plebiscito. "Essa eleição não será um plebiscito", afirmou.

5.16.2010

Congresso Brasileiro de Gastronomia

O Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília e a Secretaria Executiva da Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos do Distrito Federal (sbCTA-DF) convidam todos os profissionais, pesquisadores e acadêmicos da área de alimentos para participarem do 3º Congresso Brasileiro de Gastronomia & 1º Simpósio Regional de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

..:: Serviço ::..

Data: 10 a 13 de agosto de 2010

Local: Embrapa (Sede) – Brasília/DF

Áreas contempladas
: Gastronomia, Turismo e Cultura, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Nutrição, Produção Agronômica Regional e Tecnologia Pós-colheita.

Data limite para o envio dos resumos expandidos: 07 de junho de 2010. A chamada para envio de trabalhos científicos e outras informações sobre o evento podem ser encontradas no website do evento.

Comissão Técnico-Científica
Contatos: contato@gastronomiasbcta.com.br
Fone: (61) 3107-5986

VII Seminário da ANPTUR - São Paulo - 2010

O VII Seminário da ANPTUR, uma promoção conjunta da Associação de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo e da Universidade Anhembi Morumbi, reúne um conjunto de atividades científicas, as quais têm início em mesa redonda com a presença de expoentes nacionais e internacionais para discussão das Perspectivas Disciplinares, Temáticas e Metodológicas das Pesquisas em Turismo e Hospitalidade, no âmbito nacional e internacional.

..:: Tema central ::..

Ética: Produção e Difusão da Pesquisa em Turismo

..:: Data ::..

20 e 21 de setembro de 2010

..:: Local ::..

Universidade Anhembi Morumbi
Campus Vila Olímpia
Rua Casa do Ator, 275 – Unidade 7
São Paulo – SP

..:: Submissão de artigos ::..

Data limite para submissão de trabalhos e para inscrição dos autores 07/07/2010. Para maiores informações do programa e submissão de trabalhos visite o site do evento!

Outras informações podem ser obtidas com a Secretaria da ANPTUR (de 2ª a 6ª das 9h às 13h): Tel.: (11) 3105-5370 ou pelo E-mail: secretaria@anptur.org.br

Pousada Natur Campeche: Modelo de Gestão e Empreendedorismo coroados no Encatho 2010



Espaço "Dicas de Viagens e Turismo": Peça teatral gratuita



4th International Conference on Responsible Tourism in Destinations

Muscat, Oman 10-12 October 2010

The 4th International Conference on Responsible Tourism in Destinations has four themes:
1. Tourism, Livelihoods, Local Economic Development and Human Resources
2. Responsible Tourism in a World of Finite Resources
3. The Responsible Tourist, Tangible and Intangible Heritage
4. Responsible Destinations and Marketing
Full details of the conference are on the conference website

The programme has been planned to include time for presentations and discussion. Speakers include Adama Bah, Susanne Becken, Amina Al Balushi, Xavier Font, Harold Goodwin, Heidi Keyser, Wael Al Lawati, Nombulelo Mfeka, Dr Venu, Dr Daeid de Villiers.

The 10th of October is dedicated to presentation and discussion of reports from international delegates on progress in implementing Responsible Tourism since RTD3 in Belize.

For details of the reports and papers being presented see the programme.
Original theoretical and applied research by academics and researchers on the four themes of the Conference will be presented and discussed.

If you would like to present a paper or speak on one of these themes please send an email with personal information and an abstract of your paper or report.

Registration is now open. To register and for more details of the conference go to www.rtd4.om and Harold Good Win

Só o sucesso é capaz de reter talentos


Por Jack Welch com Suzy Welch - Portal Exame

Em vista da mobilidade cada vez maior da mão-de-obra hoje em dia, o que um executivo precisa fazer para manter seus funcionários?
(Claudia Stowers, Filadélfia, Pensilvânia)


Já vai longe o tempo em que o profissional começava a trabalhar aos 21 anos e permanecia na empresa até se aposentar. Naquela época, as pessoas queriam ficar onde estavam. Elas adquiriam um imóvel, tinham filhos, fincavam a proverbial cerquinha branca no jardim e eram sócias de algum clube local. Por fim, o profissional tinha uma carreira sem sobressaltos sempre no mesmo emprego.

Há algumas décadas esse estilo de vida entrou em decadência. Não é difícil encontrar quem tenha mudado de emprego duas ou três vezes no prazo de dez anos. Contudo, embora isso talvez seja bom para a carreira do indivíduo, não é bom para as empresas. Toda vez que um empregado produtivo e talentoso decide sair, leva junto sua experiência e o treinamento recebido. É um investimento alto que deixa de produzir o retorno esperado.

Por isso, é imprescindível que as companhias contem com mecanismos poderosos de retenção capazes de segurar os bons profissionais. Infelizmente, muitas não dispõem de tais mecanismos -- e não estamos nos referindo aqui a salários competitivos. A retenção começa quando a alta administração passa a se interessar realmente pelo assunto -- e não delega o problema apenas à área de recursos humanos. É um pecado perder um profissional que está entre os 20 melhores da empresa. É o tipo de coisa que não pode acontecer e ficar por isso mesmo. Portanto, é imperativo que as empresas tenham um sistema rigoroso de avaliação e de premiação, de modo que saibam exatamente quem são os melhores funcionários e, assim, possam gerenciá-los e recompensá-los devidamente.

..:: Leia o artigo completo no Portal Exame!

Fábula: as cinco qualidades de um lápis

Se você conseguir aplicá-las em sua vida, será sempre uma pessoa melhor e em paz com o mundo...

..:: Primeira qualidade ::..

Você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que, assim como o seu lápis, existe uma Mão que guia seus passos.

..:: Segunda qualidade ::..

De vez em quando é preciso parar o que está escrevendo, e usar o apontador. Isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele estará melhor e mais afiado para continuar. Portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas o farão ser uma pessoa melhor.

..:: Terceira qualidade ::..

O lápis sempre permite que usemos uma borracha para apagar aquilo que estava errado. Entenda que corrigir uma coisa que fizemos não é necessariamente algo ruim, mas algo importante para nos colocar novamente no caminho da justiça.

..:: Quarta qualidade ::..

O que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas a grafite que está dentro. Portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.

..:: Quinta qualidade do lápis ::..

Ele sempre deixa uma marca. Da mesma maneira, tudo que você fizer na vida irá deixar traços.

..:: Contribuição recebida por e-mail, com autor desconhecido.

O improvável equilíbrio entre o hoje e o amanhã

Por Jack Welch com Suzy Welch - Portal Exame

Diante da tendência dos mercados de privilegiarem os resultados de curto prazo, como podemos nos preparar para os de longo prazo?
(Wayne Abernathy, Washington)
A solução é uma só: gestão. Em outras palavras, equilibrar as demandas por resultados trimestrais com a pressão por lucros futuros. É para isso que os executivos são pagos. Desculpe se a resposta parece meio rude, mas, todas as vezes que ouvimos essa pergunta, a seguinte indagação nos vem à mente: "Afinal de contas, por que você acha que foi contratado?" Para lidar com um paradoxo, foi para isso que o contrataram. Cabe a você dar um jeito na situação - e não apenas uma vez, mas muitas e muitas vezes.

Qualquer um pode gerenciar só o curto prazo. Basta "espremer" seus custos até o bagaço. Também é simples se concentrar apenas na administração de longo prazo. Basta dizer todos os dias às pessoas: "Calma, com o tempo nossa estratégia dará o retorno esperado". O difícil é fazer ambos ao mesmo tempo, e isso exige liderança. O líder é um sujeito de fibra, de visão e de coragem, capaz de lidar com as expectativas de longo e de curto prazo ao mesmo tempo.

Um bom exemplo disso é a área de gerência de pessoal. Esse é um setor que, mais do que qualquer outro, exige um perfeito equilíbrio entre o longo e o curto prazo. Você, naturalmente, quer motivar sua equipe a produzir resultados imediatos. Pode fazê-lo com incentivos e recompensas, objetivos definidos e também com uma atitude contagiante de vitória. Contudo, não pode jamais deixar de se preocupar com o crescimento de seus funcionários. Inscreva-os nos programas de treinamento interno ou externo da empresa, proporcione a eles diferentes experiências e submeta-os a novas atividades, encorajando-os a correr riscos. Essas iniciativas podem não produzir resultados imediatos, mas são investimentos para o futuro.

..:: Leia a matéria na íntegra no Portal Exame!

Treinar, Adestrar ou Desenvolver? Eis a questão!

Por: Suely Pavan - Pavan Desenvolvimento

Do outro lado da linha, ao tentar resolver um problema encontro um ser adestrado. Como sei disso? Ele não consegue resolver o meu problema, segue um “script”, e dele não sai nem que a vaca tussa. Sinceramente nem entendo direito o que ele faz lá, poderia ser facilmente substituído por uma máquina. Não faria diferença alguma. Ele foi adestrado, e não treinado e muito menos desenvolvido, para fazer atendimento ao cliente.

Em seis lojas ouço um não como resposta. Aprendi que cada não que se diz ao cliente, é uma venda perdida. Nenhum vendedor me dá opções “Não têm”, eles dizem fechando totalmente qualquer probabilidade de venda. Foram adestrados para dizer sim ou não, como robôs, e não para atenderem às necessidades do cliente. Operadores de telemarketing costumam ser o bode expiatório para o atendimento adestrado que o cliente recebe, mas quem trabalha com treinamento e desenvolvimento há mais de 20 anos, sabe que tanto ao telefone, ou chat na internet ou ainda pessoalmente está sendo atendido por um “Alien”, ou um coitado que recebeu um dito treinamento robótico. Fico com dó daquele ser humano que se esconde atrás daquela profissão, no qual o “role playing”, foi substituído pelo “role training”. Foram programados (treinados) para dar determinados tipos de respostas (role training) e não para jogar com uma nuance de possibilidades (role playing). Os danos à saúde mental destes profissionais são imensos, mas quem se preocupa com isto?

Os treinadores, desenvolvedores de pessoas das empresas que fazem estes verdadeiros adestramentos também não foram habilitados a fazer pensar, ou ampliar o nível de respostas.
Quando eu estudei lá na década de 70, tudo era em grupo. Confesso que a princípio era até chato, já que estávamos acostumados a receber a orientação total dos professores. Mas este jeito grupal de resolver as coisas ampliou e muito a nossa capacidade de pensar, discutir, e lidar com a diversidade. Também, naquela época, era preciso experimentar, ou seja, o aprendizado era vivo, inesquecível. O esquema escolinha, um sentado olhando a cabeça do outro e com foco no professor, foi substituído pelo sagrado ( aquele que cura) círculo. O Chaplin de “Tempos Modernos” que operava máquinas no filme, hoje opera cérebros e corpos. Cérebros que pensam iguais, agem iguais, têm corpos parecidos e adoram aprender sentados. Querem respostas prontas para qualquer coisa, já que não foram educados nas escolas, nem nas empresas e muito menos nos cursos de graduação e pós, a levantar a b... da cadeira e ir atrás, e experimentar o conhecimento, transformando-o em atitude,ou um jeito novo de pensar. Quando tem que fazer isto na prática, relacionando-se com um cliente, um funcionário, ou um par, tá na cara que o resultado é catastrófico. Fazem uso de jargões, e respondem sempre de um jeito pasteurizado.
Ninguém ensina a pensar. Muito menos a agir, e ação é pernas! Apesar do nome novo dado às coisas na área de recursos humanos das grande e médias empresas, o que se vê hoje na prática é um comportamento bitolante, chato, enfadonho, pra não dizer burro. Em treinamentos, cursos, ou o nome que você queria dar, o que se vê é gente sentada atrás da cadeira, protegida, com pouca mobilidade para aprender. Gostaria de saber também o professor, instrutor, facilitar, ou seja lá o nome modernoso que a liderança em sala de aula tenha, que esteja de fato preparado para agüentar o caos. Sim, o caos: gente em grupo discutindo, tendo orgasmos múltiplos pelas descobertas que faz, com os olhos brilhando. Claro, que para se chegar a este resultado leva tempo é necessário mais do que nunca de iniciadores (aquecimentos), não os tradicionais de treinamento que esquentam e logo depois esfriam, já que não permitem o compartilhar. A platéia, ou participantes também já vem bitolada, preparada para receber a resposta pronta sobre: Como lidar com o cliente; Como lidar com o funcionário; Ou como lidar com qualquer coisa!
É preciso quebrar este paradigma e botar o povo pra funcionar, lembrar a eles que a potencia é deles. Quando se dá cursos assim, o trabalho é árduo, nem dá para ficar passando slides no notebook. Muda-se o jeito conforme a platéia, impossível seguir um roteirinho, ou um script. Isto exige do facilitador inteireza. Ele não precisa saber apertar botões e ditar regras, mas sim ouvir e ver, e ter espírito de botar fogo na galera, acostumada a receber tudo prontinho. Mestres assim não perdem o objetivo a que se prepõem no seu plano instrucional, mas mudam o jeito que darão à aulas conforme as demandas. Mas insisto isto leva tempo, já que há um comportamento instalado e muito, mas muito acomodado. Se você treinar um grupo em atendimento, por exemplo, ao invés de dizer como se deve atender, proponha problemas cabeludos e deixe a platéia resolver, mas na prática. Talvez eles errem muito, mas não faz mal. Ao invés do notebook, use um flip chart e anote a gama de respostas do grupo, você ficará surpreso ao se deparar com a verdadeira metodologia de construção grupal. Dá trabalho? Muito, você provavelmente perderá pelo menos um quilo em cada aula que dá, este é o melhor regime para emagrecer que eu conheço. Mobilidade dá nisto, a gente emagrece e o grupo também. Não adiante sair de uma sala de aula gordo de conhecimentos, se o participante é incapaz de brincar com eles em seu dia a dia.
Lembre-se também que treinar é sempre algo relacionado com a esfera do conhecimento, e que desenvolver é algo mais amplo, melhora pessoas. E pelo amor de deus não confunda o que eu escrevo aqui com encher o grupo com “dinamicazinhas” sem nenhum sentido. Não trate adultos como crianças. Estude andragogia, que é a arte de ensinar adultos, seja em cursos, ou universidades. Use o notebook apenas para fixar alguns conceitos que o grupo por si só já concluiu. E não se importe de deletar dezenas de slides que você preparou, afinal o seu foco deve ser o sabor do aprendizado e não o programa planejado( isto é coisa de professorinha de mil novecentos e antigamente). Já vi facilitador modernoso após uma aula dizer: Ufa! Conseguir passar todos os slides do power point. Mas o pessoal aprender e apreendeu? Pergunto. A resposta que obtive: Sim claro, eles estavam ouvindo!

..:: Como se adultos aprendessem só ouvindo ou rindo! ::..

Antes de colocar o pé numa sala de aula, lembre-se que você está lá para deixar o mundo melhor, e sempre ampliar respostas e possibilidades. Senão vá trabalhar num canil, lá está adequado o adestramento, afinal cães não pensam. Gente ao contrário tem história, usa-as, e não desqualifique o grupo. Você não precisará ensinar tudo e vai aprender muito. Hoje as perguntas mudaram, e as respostas mais ainda. Se você é antenado com o mundo perceberá que tem pouca gente preparada para o inusitado. Leia Edgar Morin, Paulo Freire, Claude Dejours, Guy Debord, Paula Sibilia e Shakespeare. Assista às instigantes palestras da vibrante Viviane Mosé lá na TV Cultura, e fuja dos modismos irritantes de RH que vivem dizendo que uma coisa é novíssima, mas chegou junto com Cabral. Deixe isto para os bitolados e aqueles que buscam respostas prontas e jamais são capazes de decidir por si só. Aqueles que copiam e colam, pois são não sabem refletir. Ah! E se você acredita em tudo que as grandes empresas dizem que fazem “peloamordedeus” leia a matéria deste blog.

Existe uma maneira certa para demitir uma pessoa?

O impacto de uma demissão pode ser menos traumático se o bom senso prevalecer

Por: Roberta Cardoso - Época Negócios

“Existem muitas formas de demitir uma pessoa. A maior parte delas é invariavelmente errada”. Este é o discurso de Rachelle Canter, de São Francisco, especialista em recolocar pessoas no mercado de trabalho e também auxiliar companhias que precisam enxugar o quadro de funcionários.

De acordo com reportagem publicada no jornal New York Times, esta é uma pergunta particularmente pertinente em uma fase em que a economia dos Estados Unidos passa por turbulências e empresas de grande porte anunciam quase que diariamente reestruturações que afetam o número de postos de trabalho.

Segundo uma projeção feita pela agência Independent Budget Office, de Manhanttan, espera-se que Nova York perca 33 mil trabalhos. O Impacto será sofrido por setores diversos. Neste ano, a Starbucks cortará 12 mil postos. A General Motors, por exemplo, fechará quatro plantas de suas fábricas no país, reduzindo assim 20% das despesas com salários.
Para toda pessoa que é despedida, há alguém cujo trabalho é despedir. A ingrata missão é algo que geralmente desperta medo em quem é escalado a ceifar o trabalho do colega. A tarefa, complicada, desencadeia questionamentos pessimistas sobre o futuro profissional na companhia– algo como “o próximo pode ser eu”.
Se você se acha que está sendo demitido, a coisa mais importante para se lembrar - e isso deve preceder a vontade de chorar - é que de que você, na hora em que for dada a notícia, estará em choque. Portanto, não estará com o pensamento organizado e deve evitar a tentativa de responder todas as perguntas que lhe vêm em mente.

Não é uma atitude fácil de colocar em prática, mas é o mais indicado, diz Canter. Segundo ela, que você deve sair com um contato de alguém que depois de um tempo possa responder suas perguntas, assim que a tranqüilidade voltar.

Demitir não é fácil. “A meta é fazer isso de forma que você não se sinta terrível com a sua responsabilidade e, principalmente, ter a consciência em paz por ter tratado a pessoa com respeito”, diz Donna Flagg, responsável por dúzias de demissões e agora presidente da Krysalis Group, uma consultoria que administra empresas. "Eu realmente acho que a não é qualquer pessoa que pode demitir”, diz.

..:: Confira o artigo na íntegra no Portal Época Negócios!

Mulheres são melhores líderes que homens

De acordo com estudo da Universidade Duke, nos Estados Unidos, elas são mais sensíveis para tomar decisões nos negócios

Pesquisa nos EUA mostram que as mulheres são melhores líderes do que os homens.
Mulheres que ocupam cargos executivos são vistas como melhores líderes do que os homens, aponto um novo estudo da Universidade Duke, dos Estados Unidos. O importante, de acordo com os especialistas, é que elas quebrem a barreira do estereótipo de que são muito "sensíveis" para comandar uma negociação.
A pesquisa, que foi publicada no Journal of Applied Psychology, concluiu que as mulheres são consideradas mais eficientes para assumir cargos de lideranças, e elas também sabem levar melhor os relacionamentos profissionais do que os homens. "Em ambientes de negócios, competência e simpatia costumam ter um certo nível de compatibilidade para as mulheres", destaca o coordenador Ashleigh Rosestte.

..:: Avaliação ::..

O levantamento para avaliar o papel das mulheres à frente dos negócios foi feito com mais de 300 estudantes da universidade - de graduação e pós-graduação -, que analisaram as características de líderes fictícios. Quando compararam as trajetórias de mulheres e homens citados e a razão de seu sucesso, eles se mostraram mais favoráveis à ascensão delas. Eles justificaram dizendo que as mulheres são mais competentes, principalmente por enfrentar os preconceitos da sociedade para assumir funções antes exclusivamente masculinas.

"Muitas vezes, as mulheres têm que trabalhar duas vezes mais para obter a metade do reconhecimento conferido aos homens. Então, executivas bem-sucedidas podem se beneficiar desta percepção, levando vantagem no posto de líder", explica Rosestte, salientando que os traços de um líder tradicional, geralmente remetidos a um homem, devem ser eliminados.

..:: Fonte: Veja.com

Lançamento do livro Viagens e Viajantes

Há mais de 150 anos, Stendhal publicou seu relato de viagem. Mémoires d’un Touriste trazia uma palavra que talvez seu autor não soubesse que seria algum dia tão importante no mundo moderno e pós-moderno:
Turista. Encontrar na viagem a busca pela compreensão sobre o homem ou, buscar as razões do homem viajar e a maneira como essas viagens influenciam em sua vida e no seu comportamento são matérias importantes ainda não encontradas em muitos estudos. A viagem, portanto, aqui é o objeto de estudo, sua análise proporcionará perspectivas para compreensão do Turismo, tentando apresentar um estudo que indique as concepções de viajante, buscando verificar como se molda a figura do viajante principalmente no resultado dessas viagens: os relatos de viagem. A formação dos conceitos de viagem e turismo traz em sua genealogia um percurso longo e presente na maior parte dos textos fundamentais para a compreensão da sociedade ocidental. Aqui se apresenta o estudo das construções das ideias de viagem, turismo, viajante e turista, a partir da literatura e dos relatos.
Assim, a literatura, de vários tipos e sob vários aspectos, e os relatos de viagem, de diferentes tipos de viajantes, produzem conceitos sobre viagem e turismo. Os resultados são apresentados a partir da leitura de obras de teor muito variado: Alfred Russel Wallace; Henry Walter Bates; Richard Francis Burton; Marco Polo; Hans Staden; Bronislaw Malinowski; Stevenson; Michel Leiris; Annemarie Schwarzenbach; Mario de Andrade; Ernesto Che Guevara; Cecília Meireles; e outros, muitos outros. Da mesma forma são pesquisadas as narrativas de viajantes ficcionais, provindos da literatura, como Ulisses; Arthur Gordon Pyn; Phíleas Fogg; Robinson Crusoé; Gulliver; e Sal Paradise.

O livro é baseado na Tese de Doutorado apresentada na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, uma das ganhadoras do Prêmio Mario de Andrade em 2008, promovido pelo Ministério da Cultura/IPHAN e Associação Brasileira de Antropologia.

Silvio Lima Figueiredo é Professor/pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) da Universidade Federal do Pará. Bacharel em Turismo. Mestre em Planejamento do Desenvolvimento (NAEA/UFPA). Doutor em Comunicação (ECA/USP). Documentarista, dirigiu NAZA (15’), Brincadeira de Mestre (17’). Filhas de Jambuaçu (19’), Arte de Mestre (17’), Martírios de Santa Cruz (15’), Música de Mestre e Festa de Mestre (17’). Publicou Ecoturismo, Festas e Rituais na Amazônia (1999), O Ecoturismo e a Questão Ambiental na Amazônia (1999), Círio de Nazaré, Festa e Paixão (2005), Mestres da Cultura (2006) e Turismo, Lazer e Planejamento Urbano e Regional (2008). Coordena o Grupo de Pesquisa Turismo, Cultura e Meio Ambiente (turismo.naea@gmail.com)

Entidades do setor debatem: por que o sistema multimodal não funciona no País?

Por: Kacy Lin - Agência Indusnet Fiesp

Entre as participantes estão a Câmara de Comércio Exterior (Camex), Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq)

O Brasil optou pela abertura econômica, mas não se preparou com uma estrutura competitiva. A avaliação é do presidente da Associação de Comércio Exterior (AEB), Benedicto Fonseca Moreira, durante a abertura do Fórum sobre entraves na multimodalidade e a competitividade, realizado nesta terça-feira (11), na Fiesp.
"Nosso país optou por abrir sua economia e se tornar parte de um acordo entre países. Quando decidiu dar esse passo, em 1990, demonstrou que estava disposto a competir com o mundo, porém, não fez o dever de casa. Não se preparou com uma estrutura para isso", disse Moreira.
O presidente da AEB lembrou que para estar à altura de países competitivos é necessário investir em ciência e tecnologia. "Precisamos trazer para as nossas atividades, políticas: que nos permita abaixar os juros e a carga tributária, de exportação organizada e dinâmica, de redução de custo, e, sobretudo, investir em logística e reduzir a burocracia", explicou.

..:: Leia a matéria completa no Portal da Fiesp!

Lançamento da 4ª Mostra de Responsabilidade da Fiesp/Ciesp reforça parcerias

Por: Solange Sólon Borges - Agência Indusnet Fiesp

Tema escolhido este ano, "Saúde, qualidade de vida e bem-estar social", apresenta convergência com os Objetivos do Milênio da ONU

Nesta terça-feira (11), o Comitê de Responsabilidade Social (Cores) da Fiesp fez o lançamento oficial da Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Socioambiental, que chega à sua quarta edição. O tema "Saúde, qualidade de vida e bem-estar social" vai nortear o encontro que se realizará de 24 a 26 de agosto.

"A presença de parceiros dos anos anteriores no evento desta terça-feira é a maior medida do sucesso da Mostra", afirmou Eliane Belfort, à frente do Cores. Ela reforçou a maturidade do evento com números concretos: foram mais de 160 expositores, 438 palestrantes nacionais e internacionais – entre juristas, ministros, empresários, acadêmicos, diplomatas e especialistas – e mais de 20 mil pessoas participantes nas três mostras anteriores.

Para esta quarta edição, serão agregadas ações em prol do cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da Organização das Nações Unidas (ONU), que identificará, em todos os debates, apresentação de cases e estandes da exposição com cada tópico. As metas, agrupadas em estações, ganharão visibilidade a fim de disseminar o tema entre os participantes.

Hoje há um equilíbrio entre três fatores: social, econômico e ambiental, nesta ordem, e não somente o social e o econômico como ocorreu nos séculos 19 e 20, no capitalismo e socialismo. A observação foi feita pelo secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge, presente ao evento, representando o prefeito Gilberto Kassab.

A segunda parte do lançamento contou com a apresentação do 4º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o Pnud das Nações Unidas, uma parceria com a intenção de identificar quem são e como atuam os agentes em prol dos objetivos no estado de São Paulo e como devem se integrar à próxima Mostra.

Piracicabana terá que explicar sobre demora para transportar cadeirante

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) cobrou da Viação Piracicabana explicações sobre o episódio com o cadeirante Teógenes Oliveira Neto. Na última terça-feira ele levou quase cinco horas para conseguir pegar um ônibus adaptado. Das 17 horas às 21h50, aguardou no ponto em frente ao número 108, da Av. Presidente Wilson, em Santos.

O problema foi denunciado em A Tribuna. Oliveira é morador de Praia Grande, mas trabalha em Santos como oficial administrativo da Secretaria de Educação. Na terça-feira, quando tentou pegar o primeiro adaptado, da Linha 934, o ônibus não parou. Já no segundo, da Linha 904, o motorista alegou que não tinha a chave para ligar o elevador de cadeiras de rodas.

O terceiro veículo estava com o equipamento quebrado. Oliveira chegou a chamar a Polícia Militar para registrar boletim de ocorrência. Um fiscal da Piracicabana foi até o local para tentar parar um ônibus. O veículo que estava sem a chave do elevador voltou a passar pelo ponto às 21h10. Somente às 21h50 um outro ônibus adaptado e em boas condições passou.

No dia seguinte, a Piracicabana lamentou, por meio de nota, o ocorrido com o cadeirante. A empresa alegou que os problemas "foram esclarecidos como erro operacional por parte dos condutores".

..:: Detalhes ::..

A EMTU cobra explicações por que o condutor de um dos ônibus não tinha a chave de acionamento do elevador, que tipo de avaria impediu o uso do outro equipamento e quais os procedimentos adotados preventivamente visando impedir que veículos com falhas nos elevadores sejam liberados para a operação?

De acordo com a empresa, a ocorrência de falhas, tanto na operação quanto nos veículos, quando detectadas pelos agentes fiscais credenciados da EMTU, são passíveis de sanção,nos termos da legislação.

Ainda conforme a EMTU, diariamente são realizadas fiscalizações, tanto na operação quanto nas condições de manutenção, higiene e conforto dos veículos que operam no sistema da Baixada Santista.

Móveis com Arte - Aldo Lira



5.03.2010

Mundo Desigual

Por: Marcio Demari - Diretor Presidente do Planeta Voluntários - Brasil

"O maior assassino do mundo e a maior causa de doenças e sofrimento ao redor do golfo é… a extrema pobreza."Desigualdade Social


21 países retrocederam em seu Índice de Desenvolvimento Humano, contra apenas 4 na década anterior. Em 54 países a renda per capita é mais baixa do que em 1990. Em 34 países a expectativa de vida ao nascer diminuiu, em 21 há mais gente passando fome e em 14 há mais crianças morrendo antes dos cinco anos.
No Brasil, 10% brasileiros mais pobres recebem 0,9% da renda do país, enquanto os 10% mais ricos ficam com 47,2%. Segundo a Unicef, 6 milhões de crianças (10% do total) estão em condições de “severa degradação das condições humanas básicas, incluindo alimentação, água limpa, condições sanitárias, saúde, habitação, educação e informação”.
A pesquisa ainda mostra que 15% das crianças brasileiras vivem sem condições sanitárias básicas. As áreas rurais do Brasil concentram a maioria das crianças carentes, com 27,5% delas vivendo em “absoluta pobreza”.

Segundo a OIT, os dados de trabalhadores domésticos infantis é espantoso: no Peru, 110 mil; no Paraguai, 40 mil; na Colômbia, 64 mil; na República Dominicana, 170 mil; apenas na Guatemala, 40 mil; no Haiti, 200 mil; e no Brasil o campeão de trabalho doméstico na América Latina e talvez no mundo – 500 mil.

. Com 53,9 milhões de pobres, o equivalente a 31,7% da população, o Brasil aparece em penúltimo lugar em termos de distribuição de renda numa lista de 130 países. É o que mostra estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, divulga hoje em Brasília.

Das 55 milhões de crianças de 10 a 15 anos no Brasil, 40% estão desnutridas. 1,5 milhão entre 7 e 14 anos está fora da escola. A cada ano, 2,8 milhões de crianças abandonam o ensino fundamental. Das que concluem a 4ª série, 52% não sabem ler nem escrever.

Mais de 27 milhões de crianças vivem abaixo da linha da pobreza no Brasil, e fazem parte de famílias que têm renda mensal de até meio salário mínimo. Aproximadamente 33,5% de brasileiros vivem nessas c ondições econômicas no país, e destes, 45% são crianças que têm três vezes mais possibilidade de morrer antes dos cinco anos.

A cada 12 minutos, uma pessoa é assassinada no Brasil. Por ano, são registrados 45 mil homicídios no País. No entanto, a probabilidade de um assassino ser condenado e cumprir pena até o fim no Brasil é de apenas 1%.

O Brasil é, segundo a ONU, o país onde mais se mata com armas de fogo. Todos os anos são mortos 40 mil brasileiros;

1,9% do PIB brasileiro é consumido no tratamento de vítimas da violência;
A Aids já deixou mais de 11 milhões de órfãos na África; o devastador avanço desta doença fará com que, em 2010, pelo menos 40 milhões de menores em todo o continente tenham perdido pelo menos um de seus pais, segundo a UNICEF. A cada minuto, uma criança morre de AIDS.
Mais de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável no planeta, segundo dados da ONU. Outros 2.4 bilhões não têm saneamento básico. A combinação do dois índices é apontada com a causa de pelo menos 3 milhões de mortes todo ano. Um europeu consome em média entre 300 e 400 litros diariamente, um americano mais de 600 litros, enquanto um africano tem acesso a 20 ou 30 litros diários.

Um em cada seis habitantes da Terra não tem água potável para beber e dois em cada cinco não dispõem de acesso a saneamento básico.

Até 2050, quando 9,3 bilhões de pessoas devem habitar a Terra, entre 2 bilhões e 7 bilhões de pessoas não terão acesso à água de qualidade.

A fome no mundo, depois de recuar na primeira metade dos anos 90, voltou a crescer e já atinge cerca de 850 milhões de pessoas. A cada ano, entram nesse grupo mais 5 milhões de famintos.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 160 mil pessoas estão morrendo por causa do aquecimento global, número que poderia dobrar até 2020 - contabilizando-se catástrofes naturais e doenças relacionadas a elas.

Além da morte, a desnutrição crônica também provoca a diminuição da visão, a apatia, a atrofia do crescimento e aumenta consideravelmente a susceptibil idade às doenças. As pessoas que sofrem de desnutrição grave ficam incapacitadas de funções até mesmo a um nível mais básico.

Muitas vezes, são necessários apenas alguns recursos simples para que os povos empobrecidos tenham capacidade de produzir alimentos de modo a se tornarem auto-suficientes. Estes recursos incluem sementes de boa qualidade, ferramentas adequadas e o acesso a água. Pequenas melhorias nas técnicas de cultivo e nos métodos de armazenamento de alimentos também são úteis..

Muitos peritos nas questões da fome acreditam que, fundamentalmente, a melhor maneira de reduzir a fome é através da educação. As pessoas instruídas têm uma maior capacidade para sair deste ciclo de pobreza que provoca a fome.

..:: Fontes: Documentos internacionais, principalmente da ONU, UNICEF, OMS, FAO e UNAIDS.

Encatho 2010: Possibilidades de emprego das TICs na Gestão Hoteleira

Prezados amigos leitores,

Conforme combinamos, seguem os slides da apresentação do artigo "As possibilidades de emprego das Tecnologias da Informação e Comunicação na Gestão Hoteleira", escrito por mim, Aristides Faria, e pelo colega e amigo Tiago Savi Mondo.

A palestra realizou-se durante o 8º Seminário de Turismo & Hotelaria, evento paralelo ao 24º Encontro Catarinense de Turismo & Hotelaria (Encatho).



..:: Clique aqui e baixe o artigo (PDF) na íntegra!