Translate this blog

Pesquisar este blog

12.09.2009

Entre a Solidão e o Medo

Por Enrico Cardoso - Administrando.biz

A vida de um empreendedor não é fácil. Digo isso, não pelos desafios, pelas dificuldades e pelas grandes tarefas que um empreendedor tem que fazer. Obviamente, todo mundo que entra nessa sabe que isso será o mínimo. Que os desafios serão inúmeros e que, provavelmente, as coisas nunca mais serão as mesmas.

Eu falo isso porque no início de um negócio (a não ser que você tenha um investidor milionário), o caixa não vai fechar, as coisas não vão andar, as pessoas vão achar que você é louco por estar trabalhando de graça. Sim, você, queira ou não, vai ter de trabalhar de graça por um tempo.

As pessoas vão, a todo tempo, mandar você procurar um emprego, porque empreendedorismo não enche barriga, não dá dinheiro. E você, muitas vezes não vai ter paciência para explicar as pessoas que empreendedorismo não está relacionado com dinheiro, mas sim com construção.

Já que você não vai ter tempo, nem paciência de explicar sobre o que é feito o empreendedorismo, eu vou ajudá-lo e explicar de uma vez, para que quando alguém venha lhe falar alguma coisa, você simplesmente mostre este artigo a esta pessoa.

Empreendedorismo não está, nem um pouco relacionado com ganhar dinheiro. Pelos menos diretamente. Empreendedorismo significa construir. Quando você tem um filho, você quer que o seu filho tenha uma boa educação, que seja ética e moralmente correto, que não seja roubado de você pelo tráfico, pelas drogas, pelas pessoas erradas. Você quer que ele seja o melhor filho do mundo, mas não se importa se ele vai ser o homem mais rico do Brasil, ou se ele terá, todo mês que sofrer para fechar o orçamento. Obviamente, que você quer que ele tenha uma folga financeira, mas não poderá fazer as escolhas dele no lugar dele. Os passos precisarão ser dados por ele.

A mesma coisa é o empreendedorismo. Empreendedorismo é construir. Você que construir uma empresa que tenha uma cultura diferenciada, que proporcione a clientes e funcionários um prazer inenarrável em estar ao seu lado, que esteja pronta para contar uma história, que seja reconhecida por entregar valor.

O dinheiro é consequência. O dinheiro vai vir se você tiver pensando em coisas que realmente importam, como entregar valor, ser amado por seus clientes (como Amazon.com e a sua mais nova aquisição, a Zappos). O dinheiro vem como consequência de um trabalho bem realizado. LEVA TEMPO (mais do que você imagina), mas ele chega.

E aí, você ainda vai ter que continuar não tendo foco no dinheiro, sem perder o foco dele. O que eu quero dizer com isso? Você tem que continuar deixando o dinheiro como consequência de um trabalho MUITO bem realizado, que seja um TESÃO para seus clientes e funcionários e, mesmo assim, controlar o dinheiro, para que ele não acabe. Até porque, muitas pessoas têm a péssima mania de falir não quando estão sem clientes e sem pedidos, mas sim, quando estão cheios de pedidos transbordando e com alguns clientes.

Mesmo assim, quando você estiver no auge, muitos vão continuar achando que você é louco. Isso porque, muitos a seu redor NUNCA irão trocar um emprego fixo, com garantias de ganhos mensais, CLT, 13º salário, férias, FGTS, PIS e etc. para mergulharem no submundo secreto do empreendedorismo.

Por isso que eu disse que o empreendedor é sozinho. Por um lado, muitos, dentro da empresa só querem saber de amizades para tirar algum proveito do chefe. Será difícil, muito difícil mesmo, alguma aproximação sem nenhum interesse. Isso quando houver alguma aproximação. Muitas pessoas não estão acostumadas com liderança de verdade, mas sim com chefes. Por outro lado, em casa, muitos vão achar que você está maluco, que está se desligando das pessoas e, se você for casado, sua mulher terá que ter uma cabeça muito boa. Caso contrário, ela vai achar qualquer coisa (que você a está traído, que não a ama mais, etc.), menos que você está trabalhando todo dia até tarde. Assim, os empreendedores vão crescendo suas empresas e, cada vez mais estão mais sozinhos, com a companhia de sua empresa e de seu dinheiro. Por um lado são loucos, por outro infiéis.

Cabe a alguns deles, a sorte de familiares compreensíveis e de amigos loucos, assim como ele. Caso contrário, vamos nos consolando com os livros, escritos por doidos como nós.

Isso até que a morte nos separe. Ou até que as pessoas comecem a entender o nosso estilo de vida.

Acorda!! Tá na hora de mudar o mundo...



Vinhos & Cia - Submarino.com.br
Postar um comentário