Translate this blog

Pesquisar este blog

6.08.2009

FRONTUR - Seminário Internacional de Turismo de Fronteiras

Frontur 2009: Santa Maria (RS). Clique aqui para fazer o download do da programação preliminar e das normas para submissão de artigos científicos.

A seguir, matéria extraída do Observatório de Turismo de Fronteiras sobre a concepção do evento, bem como do próprio observatório.

Conforme a Prof. Norma Moesch, idealizadora do FRONTUR, realizado pelo Ministério do Turismo, por meio da Coordenação-Geral de Relações Sul-americanas, Departamento de Relações Internacionais do Turismo da Secretaria Nacional de Políticas de Turismo:

..:: A proposta e metas do Fórum ::..

Estão centralizadas na possibilidade de alavancar um processo que seja capaz de mobilizar as sociedades brasileira e latino-americana, em especial referente aos povos do MERCOSUL, para que se pautem os estudos de análise da situação do Turismo de fronteiras em cenários pluralizados: desde a esfera política, passando pela esfera acadêmica, pelo terceiro setor e alcançando o mercado profissional.

..:: Um novo entendimento ::..

Mantém-se a proposta para que se passe a entender a Região de Fronteira como um espaço de oportunidades, mais que área de temeridade; que se visualize a cultura transfronteirça como um atrativo turístico portador de singularidade que, bem orientado e bem planejado, pode transformar o cenário, e fazer da imagem “preto e branco” negativa um postal atraente e policrômico.

Almeja consolidar as propostas e elaborar os projetos para a constituição da Rede Sul-Americana de Concertação de Fronteiras e a Rede de Pesquisa de Fronteiras, transformando os temas pontuais debatidos nas edições do FRONTUR em agenda permanente de pesquisa e gestão, juntos às respectivas instâncias.

Objetiva-se seguir chamando a atenção das autoridades para a situação reinante no território fronteiriço, especialmente com foco nas questões pertinentes aos aspectos das relações e geração de oportunidades transfronteriças, tendo como base o turismo gerado nas linhas de fronteira, que tem cultura denominada híbrida e pouco estudada em nosso meio.

Dentre os parceiros em sua realização e edições, estão a UNIFRA, Sebrae, Ministério da Integração Nacional, em especial o Programa de Faixa de Fronteiras, do Ministério das Relações Exteriores, do Ministério da Justiça, da Receita e da Polícia Federal entre outros órgãos envolvidos com o tema das relações transfronteiriças.

..:: EDIÇÕES DO EVENTO ::..

1º FRONTUR - 2004 - SANTA MARIA - RS

2º FRONTUR - 2005 - FOZ DO IGUAÇU - PR

3º FRONTUR - 2006 - BOA VISTA - RR

4º FRONTUR - 2007 - CUIABÁ - MT

5º FRONTUR - 2008 - CAMPO GRANDE - MS

..:: PÚBLICO ALVO ::..

Entidades políticas e diplomáticas, profissionais do setor turístico, professores e acadêmicos dos Cursos de Turismo, Hotelaria e Relações Exteriores, áreas afins, imprensa e profissionais do terceiro setor.

..:: JUSTIFICATIVA ::..

Os problemas que afetam as práticas do ir e vir entre brasileiros e os povos do CONE SUL são históricos, remetendo a tempos bem anteriores ao tratado do MERCOSUL.

Muitas têm sido as tentativas dos governos em fazer do Turismo trans fronteiriço um exercício de convivência amistosa, pacífica e prazerosa, entre os “hermanos” e nossa gente.

Entraves inconcebíveis continuam a tumultuar e até a “infernizar”, como costumam afirmar determinados visitantes, abnegados freqüentadores de nossas estâncias turísticas, quer se trate dos destinos litorâneos, serranos ou urbanos de nosso país.

Eleger o Brasil como opção de férias para os latino-americanos em geral, é ainda, infelizmente, expor-se ao arbítrio de pessoas que atua em áreas de fronteira e aduanas nem sempre dotadas de bom senso e boa vontade, muito menos de diplomacia e amabilidade.

Sem o amparo legal de normas e leis que facilitem o direito de ir e vir entre os povos que no discurso se consideram irmãos, é quase impossível apostar num Turismo profissional e competitivo, como deseja o Governo Federal, através do Ministério do Turismo, das Prefeituras Municipais, e como almejam as entidades de ensino superior, capitaneadas pela UNIFRA, comprometida em formar profissionais competentes, aptos a agir como transformadores numa sociedade permeada por conflitos e contradições.

..:: OBJETIVOS ::..

Elege-se o tema TURISMO DE FRONTEIRAS, objetivando chamar a atenção das autoridades para a gravidade da situação reinante no território fronteiriço. Especialmente com foco na questões pertinentes aos aspectos da entrada de turistas, saúde, tráfico de menores, turismo sexual infantil e tipo de turismo gerado nas linhas de fronteira, uma cultura denominada híbrida e pouco estudada em nosso meio.

Pretende-se fazer do Seminário TURISMO DE FRONTEIRAS um marco referencial para a criação de um importante fórum nacional capaz de comportar a geração de inúmeros programas destinados a levantar os campos de nebulosidade que encobrem as fronteiras do Brasil, desde o Chuí até o último posto de divisa com a Venezuela.

Decisão, política, persistência, interesse coletivo, parcerias e comprometimento são atributos de sustentação fundamentais a essa ousada missão institucional que não pode e não deve mais ser protelada.

As metas estão centralizadas na possibilidade de alavancar um processo que seja capaz de mobilizar a sociedade brasileira e latino-americana, em especial referente aos povos do MERCOSUL, para que se paute os estudos de análise da situação do Turismo de fronteiras em cenários pluralizados, desde a esfera política., passando pela esfera acadêmica, o terceiro setor e alcançando o mercado profissional. Que se passe a entender a Região de Fronteira como um esPASSO de oportunidades, mais que área de temeridade; que se visualize a cultura trans-fronteirça como um atrativo turístico portador de singularidade, que bem orientado, bem planejado pode transformar o cenário, e fazer da imagem “preto e branco” negativa, num postal atraente e policrômico.
Postar um comentário