Translate this blog

Pesquisar este blog

1.08.2009

Coluna: Treinamento EcoEmpresarial



Por: Aristides Faria

Este é nosso primeiro contato por meio da coluna Treinamento EcoEmpresarial, que será publicada semanalmente aqui no blog da ABBTUR São Paulo e no website O Outro Lado da Notícia. Ao início de todas semanas deste ano teremos novos textos sobre boas práticas de treinamentos corporativos realizados em ambientes naturais, além de temas paralelos.

É interessante responder a uma pergunta que logo surgirá. Por quê a ABBTUR São Paulo hospedará artigos sobre Recursos Humanos? Respondo. Nossa área de trabalho é fundamentada na gestão de pessoas. A qualidade de nossos serviços, a eficiência de nossos processos internos e a eficácia de nossos esforços dependem da formação educacional e cultural de nossos recursos humanos.

Além disso, em Turismo & Hotelaria são pessoas servindo pessoas. A estrutura suntuosa de nossos hotéis são apenas o palco. O aconchego rústico de nossos hotéis-fazenda são apenas o pano de fundo. A tecnologia presente em nossas aeronaves são apenas o suporte. Voltando um pouco em nossa argumentação, gostaria de comentar a questão da formação educacional e cultural. O primeiro trata da formação acadêmica, não necessariamente em Turismo ou curso a fim, tampouco de nível de escolaridade. Mas, trata-se da formação fundamental, do convívio social no ambiente escolar e/ou universitário (síntese do empresarial) e do contato com valores como respeito à hierarquia, por exemplo. O segundo refere-se à formação complementar. Leitura, prática desportiva, aprendizagem de idiomas, viagens em busca de novas informações e contatos culturais, isso sem falar das viagens introspecitvas à procura de auto-conhecimento.

Retomando a questão do nível de formação acadêmica, prefiro esclarecer que o melhor deles NÃO é o mais elevado, mas sim o mais adequado ao cargo que o profissional ocupa. Obviamente os estudos têm de ser contínuos ao longo da carreira (isso se você deseja algum tipo de ascensão), mas a corrida desenfreada por mais e mais cursos não parece fazer sentido no mercado de trabalho. O pior de tudo é que acaba provocando uma grande decepção com a área de Turismo e é bem comum ouvirmos comentários deste tipo.

Infelizmente somos carentes de orientação neste campo e temos poucas iniciativas de avaliação profissional em um aspecto formal. A mais interessante e de maior credibilidade é a do Instituto de Hospitalidade, que acredita profissionais com base nas Normas Brasileiras de Regulamentação (NBR) da série 15.000, editadas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A Associação Brasileira de Bacharéis em Turismo (ABBTUR) tem importante papel neste segmento, pois representa os egressos, estudantes e profissionais de Turismo em todos os setores produtivos. Desde o governo, passando pelo comércio e os serviços, chegando ao terceiro setor.

Nossa coluna tem, então, este propósito: sensibilizar os leitores quanto a boas práticas de gestão de pessoas, socialização e de administração de carreira. Vamos usar situações vivenciadas nos treinamentos ao ar livre para exemplificar e ajudar na compreensão das discussões.

Neste primeiro momento apresentamos todo nosso “conteúdo programático”. Segue a relação de temas que iremos abordar a cada publicação, que acontecerá às segundas-feiras.

Para saber mais sobre o assunto ou experimentar um treinamento vivencial ao ar livre confira aqui uma ótima opção no litoral de São Paulo.

Conteúdo programático:

Grupo operativo (equipe vs. grupo): Tarefas implícitas e explícitas; Críticas destrutivas e pessoais; Censura e centralização; Perfeccionismo e vaidade.

Tarefas: Coesão ao grupo e às tarefas; Contratos formais e não-formais; Leis escritas e não-escritas; Responsabilidades coletivas e individuais.

Dinâmica visível: Aprendizagem organizacional; Saber ouvir e saber falar; Respeitar o outro e sua opinião: sugerir, cooperar e ajudar; Perceber, respeitar e promover a diversidade.

Dinâmica invisível: Resistências pessoais; Mitos e verdades dolorosas; Egoísmo e medo; Limitações: conjunturais ou estruturais?

Comunicação: Verbal; Não-verbal; Virtual; Formal e não-formal.

Vínculos & Hospitalidade: Geração de vínculos; Fortalecimento da identidade; Cultura; Comum-unidade.

Papéis: Ética da responsabilidade vs. Ética da convicção; Carreira vs. ocupação; Vocação; Forças do mercado.

Porta-voz: Percepção aguçada; Criatividade e inquietação; Inconformismo; Imaturidade ou liderança.

Líder da tarefa: passo seguinte de um porta-voz de sucesso: Líder nato; Teoria dos 9 baldes; Líder-formal; Liderança paralela: destrutiva (?).

Bode expiatório: Foco negativo em um membro ou sub-grupo; Diversidade; Preconceitos; Mente aberta: oportunidade de aprendizagem.

Sabotador: Oportunismo; Ratos e abutres; “Ai, se eu fosse você...”; “Eu avisei...”.

Impostor: Discurso; Prática; Pressão; Quando as máscaras caem.


PUBLICAÇÃO SIMULTÂNEA
: ABBTUR SÃO PAULO e OUTRO LADO DA NOTÍCIA
Postar um comentário